Espetáculo (Des)água realiza circulação na Grande SP, interior e litoral

Montagem teatral de rua do coletivo ALMA (Aliança Libertária Meio Ambiente) trata da mercantilização da água como metáfora para discutir a expansão desordenada e desigual das cidades. A partir do teatro épico e com músicas especialmente compostas para a peça, o grupo propõe a reflexão sobre o processo de urbanização nas várzeas dos rios brasileiros.


Foto: Annaline Curado
Foto: Annaline Curado

Estreado em junho de 2013, no Largo do Rosário, em Mogi das Cruzes, o espetáculo teatral [Des]água é fruto de uma expedição de dez meses pelas comunidades do Alto Tietê, conhecendo as riquezas, belezas e contrastes da região, e de uma intensa pesquisa artística (que incluiu intervenções performáticas às margens do Rio Jacú). Sua montagem e primeira temporada foram realizadas com recursos do PRONAC – Programa Nacional de Apoio à Cultura, do Ministério da Cultura, contando com mais de trinta apresentações distribuídas pela zona leste de São Paulo e municípios da região das Cabeceiras do Tietê. Agora, o espetáculo retorna à circulação em uma segunda temporada, contemplada pelo ProAC – Programa de Incentivo à Cultura do Estado de São Paulo, levando provocações e diversão a outros municípios da região metropolitana, interior e litoral paulista entre julho e setembro.

Dirigidos por Edgar Castro, artista da premiada Cia. Livre, e Rani Guerra, do também premiado grupo Esparrama, o Coletivo Alma encena a história de dois povos (o povo bacia, que celebra a natureza, e o povo pneu, que aprisiona a força das águas) e que, após um conflito, se veem afetados pelos destroços de uma enchente. A fábula mostra de forma crítica e lúdica os processos de ocupação do beira-rio.

O povo “bacia” se caracteriza pela proximidade e integração com o ambiente natural, ligado aos ciclos da terra e aos ritos, conservando traços de povos primitivos e comunidades tradicionais. A textura dos figurinos faz alusão à natureza animal do ser humano. O povo “pneu” carrega marcas das transformações civilizatórias, não no aspecto do desenvolvimento tecnológico, mas no endurecimento e na brutalidade, consequências do crescimento desenfreado das cidades. Com câmaras de pneu, material sintético, preto e facilmente reconhecível, as criaturas rasgam o lirismo do início do espetáculo e instauram o clima tenso, apesar de cômico, que se perpetua até o final da encenação. Tudo isso é mostrado por cinco atores e três músicos que atuam, cantam e tocam instrumentos ao vivo durante todo o espetáculo.

Foto: João Claudio de Sena

A obra participou das seguintes mostras e festivais: 1ª Mostra Área Viva de Teatro de Rua e Floresta, em Rio Branco, Acre; Festival de Inverno da Serra do Itapety, em Mogi das Cruzes; 5ª Mostra de Teatro de Rua de Guarulhos e 8ª Mostra de Teatro de Rua Lino Rojas, em São Paulo. A temporada tem início no dia 30/07, quarta-feira, às 16h, na Praça do Patriarca, centro de São Paulo e em agosto se estende para as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, Carapicuíba, Atibaia, Águas de Lindóia, Socorro, Cananéia e Itanhaém. Confira o serviço completo ao final.

Foto: Aline Guarizo

Serviço:

[Des]água, com o Coletivo ALMA


– Dia 30 de julho e dias 06,13 e 20 de agosto (quartas-feiras), às16h
São Paulo, Praça do Patriarca, Centro.

– Dia 04 de agosto (segunda-feira), às 16h
Carapicuíba, Parque Gabriel Chucre

– Dia 05 de agosto (terça-feira), às 16h
Santo André, quadra da Escola Estadual João Baptista Marigo Martins, Estrada do Pedroso, 3989

Jardim Riviera

– Dia 10 de agosto (domingo), às 16h
Águas de Lindóia, Praça Adhemar de Barros

– Dia 11 de agosto (segunda-feira), às 19h
Socorro, Praça Nove de Julho

– Dia 17 de agosto (domingo), às 15h
Cananéia, Praça Martim Afonso de Souza (Praça Central)

– Dia 18 de agosto (segunda-feira), às 15h
São Bernardo do Campo, Praça Santa Filomena, Centro.

– Dia 25 de agosto (segunda-feira) às 16h
Atibaia, Campo de futebol do Jardim das Cerejeiras.

– Dia 27 de agosto (quarta-feira) às 19h
Itanhaém, Praça Central

Atividades gratuitas. Em caso de chuva as apresentações em espaço aberto serão canceladas.

Duração – 50 minutos.
Classificação etária – livre.

Ficha técnica:

Criação: Coletivo ALMA
Direção (1ª temporada): Edgar Castro
Direção (2ª temporada): Raniere Guerra
Dramaturgia: coletivo ALMA, com colaboração de Rogério Guarapiran e Thiago Nascimento 

(2ª temporada)

Elenco:

Adilson Fernandes “Camarão”
Alexandre Falcão
Ana Rolf
Fabrício Zavanella
Gabriela Maurelli
Letícia Elisa Leal
Mauro Grillo
Thiago Nascimento
Thiago Winter

Direção musical: Raniere Guerra

Preparação corporal: Mauro Grillo e Thabata Ewara

Figurinos e cenografia: Samara Costa

Assessoria de imprensa: Eliana Maurelli e Jonilson Montalvão

Produção executiva: Marcello Nascimento de Jesus

Produção artística: Alexandre Falcão e Letícia Elisa Leal

Comunicação Coletivo Alma

Jonilson Montalvão: 97038-6836 (TIM)

Eliana Maurelli:  95252-1801(Oi)

Commentários

Diga o que você acho. Seja educado!