(Des)água

Na fábula, dois povos – o povo bacia, que celebra a natureza, e o povo pneu, que aprisiona a força das águas – se encontram às margens de um rio morto e entram em conflito. Uma grande indústria se instala no antigo leito e os sobreviventes se veem afetados pelos destroços de uma enchente.

O fim do rio é o começo de uma indústria que cresce

“Fui encanada, retificada, destruída, minha geografia original foi esquecida.

Ressurgi leito seco, peixe morto, espuma e esgoto”

 

Navegamos durante sete meses, muitas horas por dia, às vezes encalhando em bancos de areia e lixo (da sociedade: de nós mesmos). As ruas do Conjunto José Bonifácio e as margens do rio Jacú em Itaquera e do rio Tietê, em suas Cabeceiras, nos receberam e nos estranharam, para que pudéssemos mergulhar no processo criativo de mais uma montagem teatral. Partindo das muitas experiências e reflexões, seguimos o percurso, fortalecendo as linguagens artísticas,banhados pelos afetos que reestabelecem as relações comunitárias no lugar em que vivemos. Assim, pudemos nos nutrir do teatro que reúne, afeta, permeia e permite nos sentirmos vivos e ativos em meio a uma imobilização generalizada.

Que venham as inúmeras possibilidades de criação e transformação neste mundo possível: Desaguemos!

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ficha técnica do espetáculo (Des)água

Concepção: Coletivo ALMA

Direção geral: Edgar Castro

Dramaturgia: Coletivo ALMA, com colaboração de Rogério Guarapiran

Elenco:

Adilson Fernandes “Camarão”

Adriana Gaeta

Alexandre Falcão

Ana Rolf

Fabrício Zavanella

Letícia Elisa Leal

Mauro Grillo

Thiago de Oliveira Silva

Direção musical: Raniere Guerra

Direção e produção de áudio: Fabrício Zavanella

Música original: coletivo ALMA

Preparação musical (percussão) e confecção de instrumentos: Adilson Fernandes “Camarão”

Preparação corporal: Mauro Grillo e Thabata Ottoni

Figurinos e cenografia: Samara Costa

Assistência de figurinos: Clara Njambela

Produção executiva: Marcello Nascimento de Jesus

Produção artística: Alexandre Falcão e Letícia Elisa Leal

Assessoria de comunicação: Adriana Gaeta Braga

Registro em foto e vídeo: Eliana Maurelli e Jonilson Montalvão

Arte gráfica: Murilo Thaveira

Orientação das oficinas teatrais: Samara Costa e Thabata Ottoni.

 

As fontes onde buscamos a matar a sede

Vídeos e Filmes:

  • 1984, deMichael Radford
  • A febre do rato, de Cláudio Assis
  • A febre, de Carlo Nero
  • A História da água engarrafada – a grande mentira da indústria, do projeto The StoryofStuff
  • Entre Rios, de Caio Silva Ferraz
  • Metrópolis, de Fritz Lang
  • Ritos de Rios e Ruas, do Coletivo ALMA
  • Sobre rios e córregos, deCamilo Tavares
  • Tirosna Broadway, de Woody Allen
  • Esse Rio é Nossa Vida, de Daniel Wegmann e Phillype Urvoy

 

Vídeos de espetáculos e intervenções cênicas:

  • Dança Butoh, SankaiJuku
  • Pororoca, Lia Rodrigues
  • Stop the War, The Living Theatre

 

Leituras:

  • A peça didática de Baden-Baden sobre o acordo, de Bertolt Brecht
  • Cobra Norato, de Raul Bopp
  • Corpo a Corpo:estudo das performances brasileiras, de Zeca Ligiéro
  • Meditação sobre o Tietê, de Mário de Andrade
  • Por uma poética da performatividade: o teatro performativo, de Josette Féral
  • Tietê, o rio que a cidade perdeu, de JanesJorge
  • Um Peixe Olhou Para Mim: o Povo Yudjá e a Perspectiva, de Tania StolzeLima
  • A senhora das Águas na Amazônia, Lucy Coelho Penna

 

Iniciada a temporada em junho de 2013, (Des)água segue em circulação pelo Alto Tietê até o final de setembro, sempre com apresentações gratuitas e em espaços abertos.

 

PATROCÍNIO: EDP e COMGAS, via Lei de Incentivo a Cultura (incentivo fiscal).

barra site horizontal

Commentários

Diga o que você acho. Seja educado!